Greve de trabalhadores deixa França paralisada

As greves na França contra o projeto de Reforma Trabalhista do governo de Hollande se estenderam a vários setores

Déficit da previdência social é farsa!

Com argumentos incontestáveis, Denise Gentil destroça os mitos oficiais que encobrem a realidade da Previdência Social no Brasil

Sindicalistas de todo o país aderem à Unidade Popular

Em um ato público realizado em Maceió, Alagoas, sindicalistas de vários estados aderiram ao Partido Unidade Popular pelo Socialismo

PL\4330 volta à pauta no Congresso Nacional

O movimento sindical deve colocar a luta contra o PL 4330 como uma batalha de vida ou morte para a classe trabalhadora.

Apesar de comum, assédio sexual no trabalho é pouco denunciado no Brasil

Vergonha, medo e dificuldade de provar a agressão levam as vítimas a preferir o silêncio.


quinta-feira, 22 de junho de 2017

OPOSIÇÃO GANHA NA JUSTIÇA E O GOLPE NAS ELEIÇÕES ESTÁ CANCELADO!


  
Oposição se forjou na luta

Vitória da categoria organizada. Vamos lutar pela mudança no SEEPE!
 
        A atual gestão tentou dar um golpe nos enfermeiros forjando uma  suposta eleição para a nova diretoria nos dias 22 e 23 de junho, véspera de São João, sem comissão eleitoral e com número reduzidíssimo de urnas, com apenas a chapa da situação inscrita! Em respeito à um enorme número de enfermeiras e enfermeiros indignados com essa falcatrua, a oposição foi à Justiça e a falsa eleição foi suspensa.
       Os enfermeiros do estado estão há dez anos sem reajustes salariais acima da inflação. Queremos um sindicato que lute pela convocação dos concursados e pela equiparação da gratificação de plantão com os dentistas. O SEEPE tem que sair da paralisia e lutar pelas 30h. O Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos está defasado. Nos municípios, o pagamento no PSF e nos Hospitais tem que ser equiparado! A verdade é que a atual gestão tanto fez que agora está com medo que haja uma chapa de oposição e mais ainda do resultado das urnas!
       Mas ESSE GOLPE NÃO VAI PASSAR! Não é esse o sindicato que queremos! Já bastam as  falcatruas e os escândalos de corrupção que ocorrem no poder Executivo e no Congresso Nacional e os golpes que estamos sendo vítimas com as reformas da previdência eu retira nosso direito à aposentadoria  e a trabalhista que acaba com conquistas históricas como o acesso gratuito à justiça do trabalho, férias de 30 dias e 13º salário. Não queremos no SEEPE uma direção golpista como a do presidente ilegítimo Michel Temer. EXIGIMOS ELEIÇÕES LIMPAS JÁ!
    Junte-se a nós. Vamos dizer NÃO a esse golpe e lutar por eleições democráticas com a inscrição da chapa de oposição para termos um sindicato que defenda a categoria dos enfermeiros!

Movimento Luta de Classes - Pernambuco

terça-feira, 20 de junho de 2017

Nota de Repúdio à prisão de sindicalista!


O Movimento Luta de Classes repudia veementemente a prisão do sindicalista Oton Pereira Neves, secretário-geral do Sindsep-DF que estava em uma manifestação em frente ao Ministério do Meio Ambiente em Brasília. Nessa manhã de terça-feira (20/06), o sindicalista foi preso quando convocava os servidores para assembleia-geral nesta quinta-feira, dia 22 de junho, às 12h30, no Espaço do Servidor, para deliberar sobre a adesão à greve geral do dia 30 de junho. O Movimento Luta de Classes repudia a criminalização do movimento sindical e a ação arbitrária da Policia Militar do governo do Distrito Federal que usou a proibição do uso de carro de som em frente a prédio público para dar voz de prisão ao dirigente sindical. Essa é mais uma demonstração de que precisamos organizar a classe trabalhadora a partir das assembleias de base, discutindo as reformas trabalhista e da previdência e todo o retrocesso que elas significam. Pela greve geral dia 30 de junho

Comissão de Assuntos Sociais rejeita Reforma Trabalhista no Senado


A CAS (Comissão de Assuntos Sociais) do Senado rejeitou no início da tarde desta terça-feira (20) o relatório sobre a reforma trabalhista, de autoria do senador do Ricardo Ferraço (PSDB-ES), por 10 votos contrários ao relatório e 9 a favor. Os senadores oposicionistas comemoram rejeição do texto.

Com a rejeição do relatório, a presidente da comissão, a senadora Marta Suplicy (PMDB-SP), pôs em votação o voto em separado de Paulo Paim, que foi aprovado em votação simbólica. O parecer segue agora para a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça).

O debate sobre a reforma trabalhista durou cerca de 90 minutos. A discussão sobre os temas foi encerrada pouco depois das 12h10 desta terça-feira (20). Em seguida, líderes de bancadas começaram a encaminhar os destaques ao projeto antes da votação do relatório.

Durante a 1h30 de debate, prevaleceram os discursos dos senadores da oposição. Entre os oradores, apenas o senador Romero Jucá (PMDB-RR) e o próprio relator Ricardo Ferraço (PSDB-ES) defenderam o projeto. Todos os demais demonstraram posição contrária ao tema.

Há 75 destaques ao projeto da reforma trabalhista. Entre eles, há 23 do senador Lindbergh Farias (PT-RJ), 18 de Paulo Paim (PT-RS) e 13 de Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM). Há, ainda, duas emendas de bancada do PT e uma do PSB.

É importante salientar que, esta vitória contra a reforma foi possível graças às pressões que a classe trabalhadora tem feito nas ruas de todo o país. Agora, precisamos derrotar de uma vez por todas, esses ataques aos direitos dos trabalhadores e das trabalhadoras, e fortalecendo a Greve Geral do dia 30 de Junho

Fonte R7