segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Negociação T.I. em MG: até o momento, nem 40 horas semanais, nem aumento real




Na segunda rodada da mesa de negociação da data-base setembro/2011, alguns pontos importantes foram discutidos e aprofundados, mas o patronal ainda se mostra irredutível quanto às principais reivindicações deste ano: a redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais, sem redução do salário, e o aumento real.

Apesar das 40 horas já ser prática em diversas empresas de MG, e de também já constar em convenções coletivas da categoria em vários outros estados do país, o patronato mineiro - o mesmo que reclama que os profissionais de MG estão migrando para SP e RJ (por que será?) - se mostra inflexível nesta questão.

Argumentar contra a redução da jornada na categoria de TI é uma tarefa dificílima, que deixaria qualquer sofista grego, mestres da retórica, em dificuldades. Algumas das razões apresentadas para a não redução, como a que se trata de matéria política (!!!), ou de que o senado brasileiro é que deve resolver esta questão (!!!), não convencem ninguém.

Outra discussão encaminhada nesta mesa foi a do ticket refeição. O valor atual de R$9,00, apesar da valorização que conseguimos nos últimos anos, ainda é muito baixo. Por isso a proposta é que este ano o ticket tenha um reajuste maior do que nos anos anteriores, e que as empresas que já praticam um valor superior a este da convenção também apliquem determinado percentual de reajuste no valor facial. Esta cláusula visa evitar o congelamento do benefício naquelas empresas que já pagam acima do mínimo da convenção.

0 comentários:

Postar um comentário