quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Greve histórica na Guaraves garante vitória aos trabalhadores



Cansados da exploração que são vítimas, os trabalhadores da Guaraves, maior abatedouro industrial da Paraíba, situado na cidade de Guarabira, entraram em greve na madrugada desta quarta-feira (04/09) por melhores condições de trabalho.

Em reuniões organizadas pelo Movimento de Luta de Classes, os trabalhadores organizaram a pauta de reivindicações e numa ação que durou todo o dia da quarta marcou história no movimento sindical da cidade e da região.

Eram 4 horas da manhã quando os primeiros trabalhadores cruzaram os braços na frente da empresa enfrentando a forte chuva que caía nesta madrugada. Em poucas horas o movimento já recebia a adesão de mais de 100 trabalhadores que, confiantes na luta, permaneceram firmes durante todo o dia, na frente da empresa, até que uma comissão do movimento fosse recebida pela empresa.

Várias foram as denúncias feitas pelos grevistas que receberam o apoio da população da cidade que em toda a manhã expressou solidariedade ao movimento através das rádios da cidade. Representantes do SINDLIMP, STIUPB, SINTRICOM e CUT estiveram presentes no piquete em frente a empresa engrossando as fileiras da greve.

Já passava das 3 da tarde quando a comissão foi recebida pela empresa. Muita apreensão e expectativa se verificava na fisionomia dos grevistas que passaram por cima do assédio moral da empresa que em diversas vezes quis intimidá-los chamando a polícia e tentando impedir a participação do MLC na comissão que seria recebida. Entretanto, a decisão foi unânime em exigir a presença do Luta de Classes na comissão.

Após algumas horas de negociação a assembleia, realizada na porta da empresa, ouviu da comissão o informe de que todas as reivindicações do movimento foram atendidas, dentre elas estava o fim do banco de horas, garantia de intervalo para os trabalhadores utilizarem o banheiro, fim do assédio moral por parte dos supervisores, além de, no prazo de 60 dias se apresentar uma proposta de pagamento de adicional de insalubridade de acordo com laudo a ser solicitado a Superintendência do Trabalho e Emprego.

Com palmas e palavras de ordem os trabalhadores encerraram a greve dispostos a continuar a luta rumando inclusive, para a construção de um sindicato específico para a cidade de Guarabira.

Emerson Lira

0 comentários:

Postar um comentário