segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Light Engenharia descumpre acordo com trabalhadores e compromete serviço de limpeza em Campina Grande


Na manhã desta segunda-feira, o Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Limpeza Urbana da Paraíba (SINDLIMP-PB), realizou um piquete de advertência à empresa Light Engenharia e Comércio, que presta serviços de limpeza urbana à cidade de Campina Grande.

Segundo o presidente do SINDLIMP-PB, Ednaldo Guilherme, a Light está descumprindo o acordo coletivo da categoria assinado no mês de maio deste ano junto ao Ministério do Trabalho. Pelo acordo coletivo a empresa é obrigada a conceder um vale alimentação no valor de R$150,00 (cento e cinquenta reais), além de oferecer um café da manhã de qualidade aos trabalhadores.

Logo cedo, diretores do sindicato montaram um piquete na porta da empresa com carro de som fazendo as denúncias do descumprimento do acordo. A empresa alega, por meio do engenheiro responsável, Dr. João de Azevedo, que o representante da Light que assinou o acordo em maio não estaria autorizado para tal ato. O impasse reside no fato de que a empresa prefere entregar o almoço dos funcionários a pagar o vale alimentação.

Ainda segundo Ednaldo, a empresa está gerando um sério problema à população campinense, visto que, além da falta de pagamento do vale, os trabalhadores estão trabalhando numa jornada que excede o limite estabelecido pela legislação trabalhista de 8 horas diárias.

Outras denúncias foram feitas pelos trabalhadores no momento do piquete, como a falta de EPI`s e de condições de higiene no banheiro da empresa. “Para piorar a situação nem mesmo o ponto é registrado pelos trabalhadores, pois a empresa não dispõe de ponto eletrônico”, disse Ednaldo.

Durante um pouco mais de uma hora nenhum caminhão de coleta saiu da empresa por conta do piquete. Em Campina são coletadas das ruas 16.500 toneladas de lixo por mês num valor médio de R$79,50 por cada tonelada que é repassada a empresa.

O SINDLIMP-PB acionará sua assessoria jurídica ainda nesta segunda para que se dê entrada numa ação judicial para que seja pago o valor correspondente ao retroativo desde maio e que seja garantido o cumprimento do acordo. “Infelizmente não há outra alternativa; a Light, mesmo após esta paralisação se nega a respeitar os direitos dos trabalhadores. Fato que não se justifica, pois uma empresa que recebe mais de um milhão de reais por mês, pelo serviço que presta, não deveria se negar a dar R$150 de vale alimentação aos seus funcionários” afirmou o presidente do SINDLIMP-PB.

O sindicato ainda promete realizar uma assembléia da categoria para a semana que vem e não descarta a possibilidade de iniciar movimento grevista na empresa para que se encontre a solução do impasse.

Assessoria de comunicação do SINDLIMP-PB

0 comentários:

Postar um comentário