segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Trabalhadores da MGS fazem paralisação estadual


Os trabalhadores da MGS (Minas Gerais Administração e Serviço) das Unidades de Atendimento Integradas – UAI, paralisaram as atividades na última sexta feira, dia 13 de setembro, em 12 unidades espalhadas por todo o estado. Esta luta é contra as demissões ilegais de trabalhadores concursados da MGS e também contra a Parceria Público Privada (PPP) que o governo de Minas quer implantar nestas unidades, passando para a iniciativa privada a responsabilidade de fazer as carteiras de identidade, passaportes e outros documentos que todo cidadão é obrigado a possuir.

Paralisação em Curvelo fez ato pela cidade
Organizada pelo Movimento Luta de Classes - MLC, a paralisação atingiu 11 cidades, na maioria das regiões do estado, com a participação de mais de 600 trabalhadores. No sul de Minas a paralisação teve adesão em Poços de Caldas, Lavras e Passos. Na Zona da Mata paralisaram as unidades de Barbacena e Muriaé. Já na região do Alto Parnaíba, próxima ao triângulo mineiro, os trabalhadores da UAI de Patos de Minas também cruzaram os braços. No centro-oeste mineiro paralisaram os trabalhadores de Divinópolis,  e na região central do estado o município de Curvelo também aderiu à paralisação. No município de Coronel Fabriciano, no Vale do Aço, também não foi diferente, assim como em Sete Lagoas, cidade da região metropolitana de Belo Horizonte. Na capital do estado o movimento também foi forte. Nas maiores regionais de Belo Horizonte, Barreiro e Venda Nova, os trabalhadores das UAI's não abriram as unidades e foram para o centro da cidade protestar contra a criminosa privatização.
Paralisação em Belo Horizonte, em frente à Praça Sete
Na capital mineira o ato foi unificado no centro da cidade, na porta da maior unidade de atendimento integrado do estado, a UAI da Praça Sete. Com início às 6hs30 da manhã, os representante do Movimento Luta de Classes, com o apoio da Ames-BH (Associação Metropolitana dos Estudantes Secundaristas) e do MLB (Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas) denunciaram o absurdo de repassar à iniciativa privada um serviço tão elementar ao povo mineiro.

Paralisação em Poços de Caldas
A lógica do governo do PSDB é de PPP's, assim como já fez no estádio Mineirão, nos presídios e no principal reservatório de abastecimento de água da região metropolitana de Belo Horizonte – A PPP do Rio Manso. Por isso esta luta está só começando. Os trabalhadores da MGS deram um passo importante na luta contra as demissões e contra as PPP's, cujo verdadeiro significado já caiu na boca do povo, pois na verdade PPP significa “o Povo Paga o Pato”.

Trabalhadores da UAI de Sete Lagoas também cruzaram os braços

Outras e maiores paralisações e mobilizações estão a caminho, os trabalhadores estão decididos a lutar até a vitória!

Viva a luta dos trabalhadores da MGS!

Paralisação na UAI Barreiro (Belo Horizonte)

Renato Campos Amaral
Coordenação Nacional do Movimento Luta de Classes

7 comentários:

Pessoal teremos uma reunião no dia 09/10/2013 na rua MUCURI 271 BAIRRO FLORESTA, PRÓXIMO A ESTAÇÃO STA EFIGÊNIA, vamos brigar pelo nosso direito.

Funcionários concursados da mgs, vamos nos unir na luta contra as demissões em massa que já se estende pela região de MG...vamos lutar contra as demissões!!!

VAMOS UNIR TODOS OS FUNCIONARIOS DA MGS PARA COLOCAR ESSA CAUSA EM TODOS OS JORNAIS, TEMOS QUE CONSEGUIR NOSSA ESTABILIDADE,FIZEMOS CONCURSO PUBLICO, NÃO ESTAMOS PEGANDO VAGA DE NINGUÉM!!É UMA FALTA DE RESPEITO ABRIR OUTROS CONCURSO PARA OCUPAR A VAGA DE FUNCIONARIOS DA MGS CONCURSADOS!!!

FUNCIONARIOS DA MGS ESTAMOS SENDO INJUSTIÇADOS PELO GOVERNO DE MINAS, PRESTAMOS CONCURSO, NÃO PODEMOS SER DESCARTADOS ASSIM COMO SE NÃO FOSSEMOS NADA, SEMPRE PRESTAMOS NOSSOS SERVIÇOS, FIZEMOS O ESTADO FUNCIONAR, TEMOS NOSSOS DIREITOS, SOMOS 22 MIL FUNCIONARIOS, TEMOS QUE NOS UNIR E LEVAR NOSSO CASO A JUSTIÇA, MOSTRAR PRA MIDIA O QUE ESTÃO FAZENDO COM AS FORMIGAS, SIMPLESMENTE ESMAGADA PELO TODO PODEROSO, VAMOS MOSTRAR NOSSA FORÇA NA URNA, ANO QUE VEM É ANO POLITICO, VAMOS MUDAR A CARA DO PAIS, ESSES 22 MIL VOTOS VAI CONTAR MUITO NESSA HORA.

Pessoal vcs viram que palhaçada o novo concurso da MGS. Isso se chama sossega leão, para ficarmos tranquilo.

O nosso país é um verdadeiro circo.

Existe também um fato muito grave: A CONIVÊNCIA DOS SINDICATOS !!

Nos últimos anos além de "RIFAR" os funcionários em acordos obscuros com a MGS os sindicatos muito mais preocupados com sua sobrevivência (contribuições, etc)
DELIBERADAMENTE ESTÃO ATRASANDO AS CONVENÇÕES COLETIVAS para só serem homologadas após as demissões do começo do ano!

Ou seja: fingindo lutar por algum "direito ou reivindicação" apenas para atrasar os acordos.

Assim os funcionários demitidos recebem o acerto com base na CCT anterior ! e deixam de receber sobre os meses do ano em que a CCT ainda não foi homologada. Há e diga-se: atrasam mas não pagam reajustado não, viu?! A cláusula sempre vem na convenção, atrasam e quem sai perdendo somos nós!

FLAGRANTE DESONESTIDADE!

Tanto é que no final os sindicatos tem aceitado aquilo que a MGS já havia imposto...

ESTE ANO PARA O SEAC-MG (e filiados) ESTÃO "SEGURANDO" A CCT 2014 que tem data base em 1º de Janeiro, já aguardando o corte do Governo de Minas para que as demissões ocorram antes que a convenção seja homologada.

Já são vários anos q embora a data base seja 1º de janeiro - e o instrumento de registro no MTE já deveria estar em andamento ou concluido antes do final do ano anterior para ter efeitos na data base - mas só é homologado depois das "DEMISSÕES" do começo do ano.

Assim os funcionários saem no prejuizo... e a MGS lucra!

HÁ QUE SE PRESSIONAR OS SINDICATOS E VERIFICAR O ANDAMENTO DOS INSTRUMENTOS COLETIVOs !!!! o que tem data base em janeiro a essa altura já deveria estar pronto e seguir para registro no MTE para analise e aprovação.


A MGS é tão manipuladora que inclusive "criou" um sindicato para quem trabalha na informatica... pouca representatividade, sindicatos de fachada.

E não pensem senhores que o Governo de Minas não está ciente... é tudo feito de comum CONCHAVO!

É um grande negócio: o funcionário da MGS trabalha, recebe "X" mas pasmem, o que fica nas "mordidas" fica em volta de 40%. Ex: o funcionário recebe na carteira bruto: R$ 1.500,00 (liquido é bem menos), mas o órgão paga em média na fatura para a MGS R$ 2.200,00. A gente trabalha, eles enriquecem. (MGS, prefeituras... a politicagem)

A metralhagem é profissional, controle das informações, falta de transparência... a MGS agora tem participação no Diário Oficial. o " Minas Gerais". o que eles não querem a gente não acha. Por exemplo quando em 2009/2010 um procurador do estado descobriu que a MGS não tinha no seu estatuto os serviços de suporte administrativo e telefonista, ou seja, nem concurso podia ter feito! mas ja havia um exército espalhado pelo governo, principalmente no DER/MG.

Tudo muito "resolvido" com publicações retroativas, discrição e sombras... com a benção da SEPLAG que organizou e legalizou a pilhagem... coisa que inclusive faz muito bem.

Sem respeito, sem valorização, com todas as obrigações de um servidor, mas sem direitos que deveriam se garantidos pela isonomia do poder público, como o direito ao premio por produtividade, muito fantasma ganhando por metas que em muitos casos só foram possíveis pela participação de funcionários da MGS.

E ano que vem tem eleição... e a MGS já tá fazendo concurso... e a bandalheira segue.

Postar um comentário