terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Projeto de Lei (PL) 4330 quer ampliar a superexploração dos trabalhadores.


A crise econômica mundial desespera os ricaços do mundo. Após organizarem guerras para dominar o petróleo de países como Iraque, Palestina, Líbia e Síria, querem aumentar os lucros a todo custo. As medidas são agressivas: depor representantes que vacilem em aplicar a política de diminuição de custos do estado; zerar os gastos sociais em saúde, educação, moradia e transportes; aumentar a jornada de trabalho, a rotatividade no emprego, o tempo para aposentadoria, diminuição dos salários, precarização das condições de trabalho, dos preços e dos gastos com exército e polícia.

Em tempos de crise a terceirização é um objetivo fundamental para os capitalistas. Trata-se da legalização das piores condições de trabalho, conhecida no sistema capitalista, a partir do século 18. Segundo matéria de A Verdade (edição de Julho/2012), pesquisas do DIEESE, opiniões de entidades sindicais e da experiência prática, vivemos o aumento das doenças e mortes do trabalho.

O mito da Atividade-fim

Com objetivo de diminuir os gastos com os direitos dos trabalhadores, foi desenvolvida a política de contratar outra empresa para prestar serviços auxiliares - “Atividade meio” -  à produção central, isto é, a terceirização. Entretanto, sabemos que não é possível produzir um carro sem manutenção das máquinas, limpeza da fábrica e portaria, por exemplo. Este ataque foi vitorioso e está consolidado na sociedade. O próximo passo agora é terceirizar a “atividade-fim”.

Em tramitação no Congresso

O deputado do PMDB-GO Sandro Mabel, é o autor do PL 4330, que visa viabilizar a terceirização da “atividade-fim” flexibilizando as leis trabalhistas, segundo o deputado isso é “modernizar as relações de trabalho”. A verdade é que esse objetivo não é moderno, o de garantir o super lucro e a saída da crise através da superexploração dos trabalhadores.


O Movimento Luta de Classes soma forças nessa luta, faz um chamado a todas as centrais sindicais do país a se unirem e organizarem grandes greves para derrubar esse ataque e defender conquistas históricas dos trabalhadores que só foram possíveis graças a luta de morte de várias gerações do povo brasileiro.

0 comentários:

Postar um comentário