domingo, 22 de junho de 2014

MLC na direção do 39º Núcleo do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do RS


O CPERS/Sindicato (Centro dos Professores do Estado do Rio Grande do Sul – Sindicato dos Trabalhadores em Educação), ao longo de sua longa e aguerrida história de lutas, tem conquistado vitórias, vencendo com dignidade períodos como o da ditadura militar e, posteriormente, a prática de governos autoritários que desrespeitam a categoria e teimam em não cumprir acordos. Os patrões ignoram a lei federal do piso nacional, estão sempre de plantão para retirar direitos e legitimar o assédio moral das direções autoritárias, dar respaldo à meritocracia e privatização de nossas escolas e, ainda, implantar um ensino politécnico que prejudica a vida de nossos jovens, fazendo deles mão de obra barata para as empresas capitalistas.

Em 2013, o Movimento Luta de Classes (MLC) do Rio Grande do Sul participa pela primeira vez do 8º Congresso do CPERS/Sindicato e apresenta uma tese aos trabalhadores em educação elencando questões da conjuntura nacional e internacional que afetam nossa vida funcional e a prática pedagógica e apresentando propostas para a luta da categoria. Com isto conquistou um grande apoio dos participantes. A luta avançou e o MLC continuou participando de todas as mobilizações, greves e de todas as demandas no chão das escolas.
Este trabalho cotidiano, responsável e tão necessário mediante o desencanto dos educadores em relação à postura do governo e ao desempenho arrogante do burocratismo sindical de algumas forças fez com que o MLC começasse a fazer diferença neste estado.
O MLC participou, nesse ano, nas eleições sindicais de 10 e 11 de junho, compondo a Chapa 3 – Romper as Amarras para Mobilizar o CPERS, ocupando a vice-direção, juntamente com as forças políticas CEDS, Arma da Crítica, Tribuna Classista e Independentes.
O programa da Chapa 3 foi aceito e referendado pela categoria, nos levando à vencer a eleição para o 39° Núcleo com 39,10% dos votos. Nossa luta foi reconhecida e agora vamos colocar em prática nosso programa, reaproximando os trabalhadores em educação do sindicato através dos representantes de escolas, promover formação sindical, continuar com a publicação de livros e ficar em contato permanente com nossos colegas ouvindo, planejando e incentivando a importância de sermos sindicalizados para travar a luta cotidiana.
O CPERS/Sindicato só será realmente forte e combativo com a participação massiva da classe trabalhadora e com a credibilidade das direções em cada um dos 42 núcleos espalhados pelo Rio Grande do Sul.
Os desafios são muitos, mas sabemos que esta tarefa pertence a nós, comunistas, com a garra de organizar, conscientizar e fortalecer os trabalhadores dirigindo os sindicatos com a mesma convicção das palavras de Marx: “os sindicatos devem ser escolas de socialismo”.
Dedicamos esta vitória a todas as mulheres e homens do PCR. A luta continua!!!! Viva o MLC!!!! Salve o Socialismo!!!
Fátima Magalhães, Porto Alegre

0 comentários:

Postar um comentário