domingo, 15 de junho de 2014

Nota em apoio à histórica greve dos metroviários de São Paulo!



            A greve dos Metroviários de São Paulo é uma expressão da luta dos trabalhadores no Brasil, principalmente neste momento que vivemos um acirramento da luta de classes. Desde Junho do ano passado, quando a juventude ocupou as ruas do Brasil, uma rebelião popular vem se acumulando na consciência dos trabalhadores de nosso país. Um exemplo foi a greve dos operários de uma empreiteira em Ipatinga que, sem sindicato, arrancou importantes vitórias depois de 26 dias de greve.
            Em fevereiro deste ano, os Garis fizeram uma greve em meio ao carnaval carioca, pintando as ruas do Rio de Janeiro de laranja, enfrentando governos, a grande mídia e preconceitos. Seguiram seus exemplos os Garis do ABC Paulista e Belo Horizonte, rodoviários do Rio de Janeiro, de São Paulo, do Rio Grande do Sul e Maranhão, professores de Belo Horizonte, e do estado do Rio de Janeiro, entre outras inúmeras greves de norte à sul do Brasil.
            Agora, a greve dos metroviários de São Paulo demonstra que a classe trabalhadora deve estar unida para enfrentar a arrogância dos patrões e dos governos. O governador fascista Geraldo Alckmin, judicializa a luta dos metroviários, manda a polícia bater em trabalhador, ataca o direito constitucional de greve! Esses são ataques a toda a classe trabalhadora!
            A verdade é que o PSDB de Geraldo Alckimn odeia os trabalhadores, se pudesse  nos escravizaria! Utiliza o metrô em esquemas de corrupção e carteis, não se importando com a necessidade da populção. Por isso apoiamos a greve dos metroviários de São Paulo, que enfrentam de cabeça erguida essa truculência do governo paulista.
            Os milhares de trabalhadores representados pelas entidades que assinam esta nota exigem a imediata reintegração dos 42 metroviários demitidos! Que Geraldo Alckimn desça do salto e negocie com a categoria!

Readmisão Imediata dos metroviários de São Paulo já!

Movimento Luta de Classes – MLC/Brasil

0 comentários:

Postar um comentário