terça-feira, 7 de outubro de 2014

Incêndio e morte na Reman


Na manhã do dia 20 de agosto, faleceu o companheiro Antonio Rafael Santana, 26 anos, vítima de uma explosão ocorrida Refinaria de Manaus (Reman).

A explosão aconteceu às 22h50, quando Rafael fazia uma ronda na Estação de Tratamento de Despejo Industrial, próxima ao sistema de tocha da refinaria. Rafael teve 75% do corpo queimado e, devido ao estado grave de saúde em que se encontrava, não pôde ser transferido para o Hospital da Força Aérea, no Rio de Janeiro. O motivo da explosão foi o vazamento de gás inflamável na área proveniente do sistema de tocha.

Nos últimos quatro anos, os acidentes na Reman provocaram duas mortes e cinco afastamentos. Em dezembro do ano passado, foram três companheiros queimados e, por pouco, uma companheira não perdeu a visão no sistema de soda.

Na Reman os trabalhadores vivem em ambientes que cada vez mais inseguros devido à falta de uma gestão com compromisso na refinaria. Como consequência, ela passa por um momento precário, em que falta manutenção, treinamento para operadores, etc.

Na verdade, o que está acontecendo é a lógica da produção acima de tudo, pondo as vidas em segundo plano. A cada ano, aumenta a quantidade de trabalhadores vítimas de acidentes na Petrobras.

Os petroleiros não irão deixar passar em crime impune. Estamos trabalhando para mudar essa situação e vai ser somente com a unidade de todos os companheiros que iremos reverter. 

Marcus Ribeiro, Manaus

0 comentários:

Postar um comentário