sexta-feira, 15 de maio de 2015

Trabalhadores e trabalhadoras em Educação conquistam vitórias em Minas



          Os trabalhadores e trabalhadoras em educação do estado de Minas Gerais conquistaram avanços nas negociações para o pagamento do Piso Nacional neste ano. Após vários anos de muita pressão,com paralisações, passeatas, lutas históricas como a de 2011, com 120 dias de greve, e muita disposição, a categoria, organizada pelo Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação,Sind-Ute, se mobilizou novamente este ano, para arrancar das mãos do novo governo o cumprimento das promessas do pagamento do piso nacional entre outras reivindicações.
          Em assembleia realizada ontem, a categoria aprovou a proposta de incorporar ao salário o abono que será pago pelo governo no valor de 190 reais, reajustando anualmente no mesmo valor do piso nacional. Desta forma, até 2017, toda a categoria da educação em Minas, hoje são de aproximadamente 240 mil profissionais, receberá o piso. Além disso, a categoria conseguiu o reconhecimento por parte do governo de que o piso deve ser para a jornada atual, que é de 24 horas, e não a de 40 horas semanais, propagada pelo governo anterior do PSDB. Outra importante vitória foi o fim do subsídio como forma de pagamento. Esta forma acabou com a carreira no estado, por exemplo, um educador que iniciou ontem na categoria estadual recebia o mesmo salário, que um educador que está há 20 anos na categoria. Com o fim desta forma de remuneração, volta-se a debater a construção das carreiras estaduais. Além disso outra conquista importante foi o fim da diferença de remuneração do servidor da ativa para o aposentado, que agora, seguirá com os aumentos na mesma percentagem.
Mesmo com estas conquistas a luta continua com outras paralisações ao longo do ano, para cobrar o cumprimento deste acordo.

Para a Coordenadora do Sind-Ute MG, Beatriz Cerqueira, esta é uma conquista para recuperar a educação no estado," Esta é a primeira vez, desde que assumi a coordenação do Sind-Ute que participamos de uma mesa de negociação, no governo anterior do PSDB não havia este espaço, mas vamos continuar mobilizados para exigir o cumprimento deste acordo, nós já passamos por isso, temos documentos da gestão anterior dizendo que pagariam o piso e isso não foi feito", afirmou Beatriz. A categoria ainda realizou um ato de apoio aos professores do estado do Paraná, e se solidarizou com os professores em greve no estado do Pará, São Paulo e Sergipe. Segue a mobilização para garantir estas conquistas.

Movimento Luta de Classes - MG

0 comentários:

Postar um comentário