quarta-feira, 10 de junho de 2015

Trabalhadores e trabalhadoras da MGS de Lavras e Pouso Alegre estão em greve em MG


Os trabalhadores e trabalhadoras da Minas Gerais Administração e Serviço (MGS), lotados nas Unidades de Atendimento Integradas (UAIs), na região do Sul de Minas nas cidades de Pouso Alegre e Lavras, estão realizando a maior greve da história desta rescente categoria. Hoje é o quadragésimo dia de greve, com uma queda de braço contra os patrões que a todo instante tentão desqualificar a luta.
    A greve causa grande impacto na região, já que as UAI's são responsáveis pela emissão de documentos como carteira de trabalho, carteira de identidade, certidão de nascimento e de até liberar o seguro desemprego. Num momento de crise como estamos vivendo, apenas nas primeiras semanas de greve mais de 500 trabalhadores do município de Lavras estavam a espera de dar entrada no seguro desemprego.
    Nesta segunda feira, dia 8 de junho foi realizada mais uma audiência no Ministério Público do Trabalho de Varginha, entre os  representantes do SEAC, sindicato patronal, e do Sineth São Lourenço e Região, com a participação de um diretor da ASSEPEMGS e dos delegados sindicais de Lavras e Pouso Alegre. Mais uma vez ficou comprovado o descaso com que  os  patrões tratam a  luta. O representante do SEAC, após chegar atrasado, teve o absurdo de dizer que não conhecia a proposta feita pelo trabalhadores! Isto depois de quatro semanas de greve. É evidente, que a tentativa da patronal é desgastar os lutadores e lutadoras que estão superando enormes dificuldades para orgnizar a greve. Marcou uma nova audiência para o dia 17 de junho, onde será apresentada a proposta da empresa.
    A greve é o momento de dizer aos patrões quem realmente coordena os serviços da empresa, os trabalhadores e as trabalhadoras, e por isso devem ser remunerados dignamente. Fazer uma greve   não é fácil, encontramos pressão dos patrões, familiares e até de colegas de trabalho, no entanto é o mais correto a se fazer quando nosso direitos estão sendo desrespeitados, quando nosso salário não nos proporciona uma vida digna. Sendo assim devemos arracar das mãos dos patrões melhores salários e melhores condições de trabalho.
    A  greve dos trabalhadores e trabalhadoras das UAIs Pouso Alegre e Lavras continua na perspectiva de pressionar o sindicato patronal e a MGS a fechar um melhor acordo para com os trabalhadores do sul de Minas, mas sobretudo, na necessidade de organizarmos mais os trabalhadores e trabalhadoras da MGS para se preparar para novos desafios e novas lutas.

Assoicaçãodos Empregados Públicos Estaduais da MGS - ASSEPEMGS

0 comentários:

Postar um comentário