quinta-feira, 5 de novembro de 2015

ELACS: Sindicalistas da América Latina discutem a crise do capitalismo



Entre os dias 30 de outubro e o dia 1 de novembro, trabalhadores da América Latina e do Caribe, transformaram a Colônia de Férias do Sinttel-Rio em Miguel Pereira, em uma grande plenária. Representantes da Argentina, Equador, Peru México, Republica Dominicana, Colômbia e Brasil discutiram o tema "A crise do capitalismo e os direitos dos trabalhadores" no 10º Encontro Latino Americano e Caribenho de Sindicalistas.

Na sexta-feira, 30, a mesa de abertura foi composta por dirigentes sindicais dos diversos países, do coordenador geral do Sinttel-Rio, Luis Antônio, e do presidente da CUT-RJ, Marcelinho. Todos ressaltaram a importância de encontro como estes para que a classe esteja cada vez mais unida para que as estratégias de luta estejam alinhadas e levando ao principal objetivo que é melhoria das condições de trabalho. Para uma ampla discussão, foram montados grupos de trabalho com os seguintes temas: Fundo de Pensão e Previdência, Saúde e Segurança do Trabalho e Educação.

No segundo dia, o encontro começou com relatos das delegações internacionais sobre os problemas que enfrentam em seus países em relação aos governos, aos patrões e à sociedade. Travando lutas entre os trabalhadores do campo, enfrentando também os latifundiários, que em sua maioria compõe os governos. Os participantes concluíram que as dificuldades enfrentadas no Peru, não são diferentes das brigas e reivindicações no Brasil e demais países. E nem mesmo a categoria influencia, pois os trabalhadores do campo, os metroviários, os professores, os trabalhadores da saúde, os estudantes e petroleiros buscam o fortalecimento de suas organizações para que conquistem cada vez mais. Imbuídos por esse clima de identificação, os participantes se dividiu novamente em  grupo de trabalham que exploraram os tópicos: Precarização e terceirização; situação da mulher trabalhadora e criminalização do movimento sindical.

O último dia do encontro foi marcado pela apresentação de representantes dos seis grupos citados anteriormente e informes. E um dos principais foi a eleição da Colômbia como sede do 11º ELACS, em 2017. Também foi elaborada a carta final que estreita os laços entre as delegações participantes para o fortalecimento da luta sindical.

O próximo ELACS será na Colômbia em 2017
O ELACS

Iniciado em 1988, na República Dominicana, o Encontro Latino Americano e  Caribenho de Sindicalistas é um espaço de reflexão e de luta por uma sociedade mais justa, para fortalecer os sindicatos e os interesses dos trabalhadores.

Para os trabalhadores que promovem o sindicalismo classista, baseado em princípios revolucionários, no âmbito das negociações nas mais diversas conjunturas, foi uma clara necessidade criar uma instância de discussão para a  classe trabalhadora em nível continental; que faz com que seja possível discutir os problemas, dificuldades e ao mesmo tempo as tarefas que os trabalhadores têm de enfrentar as políticas neoliberalistas em cada um dos países que emana o imperialismo e aplicado por diferentes governos burgueses, causando a miséria e a pobreza a que foi submetida a classe trabalhadora e as pessoas na América e no mundo.

Sinttel-RJ e MLC

0 comentários:

Postar um comentário