segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Não encontrarão aqui nenhum descanso na luta por um piso salarial nacional decente!


 "Operadores de Telemarketing do Nordeste dizem FORA TEMER  e declaram: À tentativa dos patrões de transferir as operações de outras regiões do país sob o pretexto preconceituoso de pagar salários menores na nossa Região Nordeste, respondemos que não encontrarão aqui nenhum descanso na luta por um piso salarial nacional decente para todos os trabalhadores da nossa categoria no Brasil."

 Reunidos em Recife, trabalhadoras e trabalhadores de telemarketing/teleatendimento, categoria do ramo de telecomunicações, declaramos nosso repúdio ao ataque promovido pelas classes dominantes contra o voto de cinquenta e quatro milhões de brasileiros para impor um governo ilegítimo do PMDB em aliança com o PSDB, DEM, PP, PPS e PSB.
                Durante os governos anteriores, já havíamos nos levantado contra o ajuste fiscal que retirava dinheiro das áreas sociais para enriquecer os empresários e banqueiros, entretanto, não resta dúvida que um governo de Michel Temer e dos partidos da direita com sua atrasada proposta enganosa denominada de "ponte para o futuro" é muito pior para os trabalhadores, tem aumentado os casos de corrupção e denúncias contra os seus ministros e só beneficiará os ricos. Assim o demonstra ao ter entregado para dois dos maiores banqueiros do nosso país a chave dos cofres públicos nos Ministérios da Fazenda (Henrique Meirelles) e do Banco Central (Ilan Goldfajn), além de querer impor uma reforma da previdência que retira conquistas históricas da classe trabalhadora. A verdade é que além de aumentar a corrupção, como ficou comprovado nas demissões de três ministros em menos de cem dias, querem transformar o Brasil numa República de banqueiros, privatizar o pré-sal e as empresas estatais, diminuir os investimentos em saúde e educação, acabar com o SUS e continuar pagando a dívida pública para enriquecer os bancos.
                Somamo-nos, assim, à palavra de ordem dos movimentos populares, da Frente Brasil Popular e da Frente Povo Sem Medo de "FORA TEMER", e não temos dúvida que somente com a mobilização popular podemos barrar o processo de impedimento e que só com o socialismo é que poderemos retirar dos patrões o poder econômico que lhes permite explorar os trabalhadores, submeter os governos e corromper as pessoas.
                 Compreendemos que a luta entre a classe trabalhadora e a classe patronal tem dado a tônica, tanto do processo de impeachment, quanto dos problemas enfrentados pela nossa categoria nos locais de trabalho. Da mesma maneira, as questões econômicas colocam diante de nós ataques, como a tentativa de pagar pela nossa jornada o equivalente ao pagamento proporcional à jornada de oito horas, a descrição da função de diferentes maneiras para burlar as conquistas obtidas pela categoria, irregularidades no pagamento de tíquetes e de remuneração variável. A esses ataques responderemos com lutas e mobilizações.
                A partir deste encontro, vamos fortalecer a luta contra o assédio moral, contra as manifestações de violência sexista contra as mulheres, vamos combater com determinação o desrespeito à dignidade do segmento LGBT e lutar pelo respeito ao nome social, uso do banheiro conforme a identidade de gênero e por auxílio maternidade/paternidade para adoção nos casos de casais homoafetivos. Nos empenharemos em combater o assédio moral e nos comprometemos em lutar pela efetivação das conquistas estabelecidas na NR-17, contra os ataques que os patrões tentam promover.
                À tentativa dos patrões de transferir as operações de outras regiões do país sob o pretexto preconceituoso de pagar salários menores na nossa Região Nordeste, respondemos que não encontrarão aqui nenhum descanso na luta por um piso salarial nacional decente para todos os trabalhadores da nossa categoria no Brasil.
                Denunciamos a perseguição aos dirigentes sindicais e às lideranças com demissões que desrespeitam a estabilidade provisória prevista na lei e nos solidarizamos com todos os companheiros vítimas desses ataques.         
Concluímos nosso encontro, portanto, reafirmando a importância de fortalecer os instrumentos de organização dos trabalhadores, como as Cipas e principalmente os sindicatos, na luta para que sejam entidades representativas, democráticas e sejam organizados conforme a decisão dos próprios trabalhadores e não por imposição.
                Reconhecemos o esforço das delegações representativas de todos os estados do Nordeste e dos estados do Rio de Janeiro e de Minas Gerais convidados, bem como do empenho dos companheiros do Sintelmarketing/PE para sediar nosso encontro, o que fizeram com empenho e êxito; e o fundamental papel desempenhado pela Fitratelp para a realização dessa atividade, parte integrante do esforço desprendido pela federação no sentido de se consolidar como instrumento estratégico na organização dos trabalhadores do ramo de telecomunicações e da categoria de telemarketing/teleatendimento.

  Recife - PE, 31 de julho de 2016

0 comentários:

Postar um comentário