terça-feira, 16 de agosto de 2016

Unidade marca ato das Centrais Sindicais - Preparar a Greve Geral!


Ato no Rio de Janeiro

        Na última terça feira, dia 16 de Agosto, as Centrais Sindicais realizaram um grande ato de unidade contra a retirada de direitos trabalhistas promovida pelo governo ilegítimo de Michel Temer. Vários sindicatos, associações de classe e demais movimentos sociais, ocuparam as ruas e avenidas das principais cidades brasileiras com o objetivo de denunciar todas as medidas que fazem, as condições dos trabalhadores e trabalhadoras do Brasil retrocederem em mais de um século.
          Vários sãos os ataques que a Confederação Nacional das Indústrias, a Federação das Industrias de São Paulo, a Federação dos Banqueiros e o Congresso Nacional estão armando contra a nossa classe. Um deles, o Projeto de Lei 257, foi aprovado na Câmara dos Deputados na última semana, projeto este que, renegocia as dívidas dos estados e municípios retirando do bolso dos servidores, pois congela seus salários durante anos, e ainda proíbe a realização de quaisquer concursos públicos , Outro projeto ainda pior está para ser votado, a PEC 241, que congela o salário dos servidores em vinte anos.  A privatização de empresas públicas é também prioridade neste governo golpista.
       

Ato em Belo Horizonte
   São muitos os ataques, e se baseiam em flexibilizar as leis trabalhistas para aumentar a jornada de trabalho (a proposta da CNI é de 80 Horas), reduzir salários, reduzir o horários de almoço entre outros absurdos. Além do mais, a proposta prioriza o negociado sobre o legislado, onde as negociações coletivas poderão ser abaixo da CLT, abaixo da lei, e ainda individualizando a negociação, acabando com os sindicatos e aumentando a exploração das categorias laborais.
           Por tudo isso, este ato assume uma enorme importância, pois coloca em debate a urgente necessidade de construir uma forte Greve Geral, que paute os direitos da classe trabalhadora e caminhe no objetivo  de forma concreta, e com isso arrancarmos das mãos dos governos comprometidos com os patrões a melhores condições de trabalho e mais direitos. Para desenvolvermos essa luta é fundamental o debate nas bases sindicais, informar sobre os inúmeros ataques que a burguesia planeja contra nós, e nos organizarmos para barrar este retrocesso. 

Renato Amaral
Movimento Luta de Classes



         

0 comentários:

Postar um comentário