sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Proposta de Temer é jornada diária de 12 horas de trabalho


Trio Macabro prepara mais ataques contra a classe trabalhadora
Mais um ataque contra os direitos dos trabalhadores e das trabalhadoras foram divulgadas pelo governo golpista de Michel Temer. Agora, as mudanças serão na CLT e com retrocesso nas relações atuais de trabalho. Os golpistas irão correr para aprovar as mudanças  e sinalizar aos aliados e ao mercado quem de fato serão os beneficiados por essas mudanças, os patrões. Foram apresentados alguns pontos do projeto pelo Ministro do Trabalho Ronaldo Nogueira, do PTB.

Segundo a proposta do governo será permitida a jornada de trabalho diária de 12 horas! Isso mesmo, o trabalhador poderá trabalhar durante 12 horas  sem nenhum direito à hora extra ou nem o famigerado banco de horas. Além disso, a proposta já prioriza o negociado sobre o legislado, pois, as negociações coletivas serão decisivas para a distribuição da jornada de 44 horas durante a semana, que poderá ser ultrapassado por um teto de 48 horas semanais.  Assim, a jornada de trabalho aumentará para 48 horas semanais!

A proposta ainda modifica as formas de contratação. Será possível ser contratado por produtividade e por horas trabalhadas. Nesta segunda forma, o décimo terceiro, direito à férias entre outros direitos, serão proporcionais aos dias trabalhados.

Esta proposta seguirá ao congresso nacional, para ser aprovada o quanto antes. O congresso mais reacionário desde a Ditadura Militar, que representa os latifundiários, banqueiros e patrões de vários ramos da produção, não se furtará de aprovar esse que será um grande retrocesso aos direitos trabalhistas.

É urgente a preparação de uma greve geral! Esses absurdos propostos serão enfiados guela a baixo da classe trabalhadora apenas se ficarmos com a "boca escancarada cheia de dentes esperando a morte chegar". Por isso, organizar a greve em seu local de trabalho e participando das mobilizações junto aos sindicatos que se colocam no campo da luta é de fundamental importância. Está marcada para o dia 22 de setembro o esquenta da greve geral, é necessário paralisar e incendiar o país contra os ataques deste governo golpista e dos patrões!


Renato Amaral
Movimento Luta de Classes


0 comentários:

Postar um comentário