quinta-feira, 16 de março de 2017

Dia 15 de Março a classe trabalhadora foi às ruas em todo o país - Em Minas Gerais foi assim!



 Nesse último dia 15, marcou uma mudança na disputa da classe trabalhadora contra as reforma de Temer e dos banqueiros. Milhares de trabalhadores foram às ruas para protestar contra o Desmonte da Previdência que vem em forma de PEC 287. Proposta esta que amplia o tempo em que seremos obrigados à trabalhar sem o direito à aposentadoria.
    Em várias cidades mineiras aconteceram atos de grande importância para o embate desta luta. Em Belo Horizonte, cerca de 200 mil pessoas ocuparam as principais ruas e avenidas gritando o Fora Temer! E contra as reformas da Previdência e Trabalhistas. Durante todas as falas, foi explicado à população todos os malefícios da reforma da previdência, convocando a população às ruas.
          Em Juiz de Fora o ato concentrou na Avenida Francisco Bernardino, com muitas palavras de ordem e forte presença de juventude.

Ato em Juiz de Fora
         Em Viçosa, o ato se concentrou nas quatro pilastras, na entrada da Universidade Federal de Viçosa, com a presença do Sindicato dos Técnicos Administrativo – ASAV, e da Subsede do SindUte de Viçosa.

Ato em Viçosa
         Em Divinópolis os trabalhadores também foram às ruas com a presença dos servidores municipais entre outras categorias.
Ato em Divinópolis
      Em Jequitinhonha, cidade em pleno Vale do Jequitinhonha, aconteceu uma passeata contra a Reforma da Previdência.

Ato em Jequitinhonha




     Em Uberlândia vários sindicatos mobilizaram suas categorias, e teve forte presença na cidade, em um grande ato.

Ato em Uberlândia

        Atos também aconteceram em Montes Claros, Bambuí, Leopoldina entre outras cidades de Minas Gerais.
        Os atos de ontem demostraram que a classe trabalhadora unida e em luta conseguirão barrar a Reforma da Previdência e a Reforma Trabalhista, que já está em pauta no congresso. Categorias como metroviários, correios, servidores de universidades, educadores das redes municipais, estadual e particular, servidores públicos da administração estadual, auxiliares de escolas particulares, metalúrgicos entre outras importantes categorias, ainda com a presença de ocupações urbanas, movimento estudantil e movimento de mulheres, deram o tom do ato! A Previdência fica e quem sai é o Temer!
       Mais atos estão marcados em todo o país. A luta continua e com muita luta podemos barrar esta Reforma!











0 comentários:

Postar um comentário