terça-feira, 7 de março de 2017

Metroviários aprovam paralisação de 24 horas no dia 15, em defesa da aposentadoria!


Fotos de Paulo Iannone

O governo golpista de Temer, não satisfeito em congelar gastos nas áreas de educação, saúde, moradia e demais setores sociais por vinte anos, agora quer aprovar uma emenda na constituição para acabar com o direito de se aposentar.

Nas ruas, a classe trabalhadora tem demonstrado indignação com esse projeto. Para Ricardo Senese, da Ação Metroviária e da Unidade Popular pelo Socialismo, só a luta pode barrar a reforma da previdência: “tenho conversado com muita gente nas coletas pela legalização da UP e nas bases dos metroviários, o que percebo é uma grande indignação com esse governo e essa reforma da previdência. Temos uma chance de transformar essa indignação em luta e vitória se todas as categorias aderirem ao chamado da paralisação nacional no dia 15. Por isso, nós metroviários, acertamos em definir ontem nossa adesão ao movimento nacional do dia 15”.

A luta em defesa da aposentaria está relacionada a outras lutas, em especial a contra a reforma trabalhista, com a qual Temer e o congresso nacional querem rasgar a CLT, aumentar a jornada de trabalho, diminuir ou fatiar as férias em 3 períodos, aumentar o tempo que um funcionário pode ficar com contrato temporário, diminuir intervalo dentro da jornada de trabalho e dar força de lei aos acordos coletivos entre sindicato e empresa.

Este último já é permitido desde que o acordo seja benéfico para os trabalhadores. Agora se trata, na prática, de garantir que acordos que aumentem os lucros dos patrões com a diminuição dos salários sejam efetivados independente do que rege a CLT.

Portanto, a hora é de unidade e luta da classe trabalhadora em todo país para enfrentar o plano dos patrões contra o povo. A burguesia quer preservar suas polpudas margens de lucros, mesmo que para isso milhares de famílias sofram com desemprego e baixos salários com longas jornadas.

Movimento Luta de Classes

0 comentários:

Postar um comentário