terça-feira, 6 de junho de 2017

Centrais Sindicais marcam nova Greve Geral para 30 de Junho!


              As Centrais Sindicais marcaram a data de uma nova Greve Geral para o dia 30 de junho.Com objetivo de preparar esta luta, está marcada também um "Esquenta" da Greve Geral para o dia 20 de Junho, com plenárias, panfletagens e assembleias de categorias laborais em todo o país.De imediato é necessário prepararmos a classe trabalhadora brasileira para, mais uma vez, cruzar os braços contra as Reformas que o corrupto e ilegítimo governo Temer quer aplicar contra nós.
          Neste ano de 2017, a classe trabalhadora entrou em cena, e com  presença em passeatas e manifestações, modificou a correlação de forças na sociedade, e enfraqueceu o governo do golpe. No entanto, é preciso nos organizarmos mais e melhor, realizarmos assembleias e lutas de preparação da classe.
             A Greve Geral do dia 28 de Abril, foi vitoriosa, onde cerca de 40 milhões de trabalhadores e trabalhadoras pararam as atividades para protestar contra os ataques do governo Temer e de seus banqueiros. A Greve foi de grande importância para a desestabilização deste governo, e avançarmos para derrotar aqueles parlamentares que estão a serviço dos banqueiros e demais patrões, fazendo negociatas para aprovarem as reformas guela a baixo de nossa classe. 



            Já o dia 24 de Maio, no Ocupa Brasília, os movimentos sociais, estudantis e de juventude se somaram aos demais trabalhadores. O resultado foi o de 200 mil pessoas ocuparem as largas avenidas da capital do país exigindo a renuncia do presidente corrupto e ilegítimo. Mesmo com a intensa repressão policial, e com o governo lançando mão dos militares, os manifestantes que foram a Brasilia deixaram seu recado, radicalizando a luta e prometendo retorno.
         Agora, precisamos nos organizar mais. É necessário realizarmos mais assembleias e levarmos mais pessoas às ruas, radicalizando nossas lutas e nossas greves. Tudo isso, por que está em jogo o futuro de nossa classe, pois querem acabar com os direitos trabalhistas, os direitos previdenciários e acabar com a justiça do trabalho. Deste parlamento não poderemos esperar nada, a não ser ataques e mais ataques.Somente o aumento e radicalização das nossas lutas darão resposta à esta situação em que atravessamos.

Renato Amaral
Movimento Luta de Classes

0 comentários:

Postar um comentário