terça-feira, 11 de julho de 2017

Senado aprova Reforma Trabalhista, agora é aumentar mais ainda as lutas da classe trabalhadora


Para pressionar ocupação do senado, Eunício apagou as luzes
Mesmo com a ocupação de quatro senadoras na mesa da presidência do senado, e o presidente Eunício de Oliveira apagando as luzes. Mesmo com mais de 40 milhões de trabalhadores e trabalhadoras em greve no dia 28 de Abril, e mesmo com mais de 200 mil pessoas em Brasília no dia 24 de Maio, os senadores aprovaram o texto base da Reforma Trabalhista. Agora a noite, aprovam os destaques sobre os pedaços da Consolidação das Leis do Trabalho - CLT.
Essa votação, cujo placar foi de 50 a favor, 26 contra e 1 abstenção, evidencia mais uma vez o caráter patronal e reacionário do Congresso Nacional. Pouco importam a opinião da classe trabalhadora e de todo o povo brasileiro, pois o dinheiro das propinas que enchem os bolsos e malas de alguns destes senadores, lhes agrada mais.

A burguesia de nosso país está dividida entre nomes como Rodrigo Maia, Henrique Meireles ou João Dória, candidatos à substituir Temer, para darem cabo àquilo que Temer não tem sido capaz de fazê-lo, acabar com nossos direitos e aumentar as regalias deles e de seus alidos patrões e banqueiros. O que os unifica é a aprovação das reformas, que são a pedra de toque de seus interesses.Por isso, a luta contra as reformas deve ser a ordem do dia do movimento sindical brasileiro, derrubando seja quem for para que não se concretizem.

O fato é que as Reformas são decisivas para a continuidade do governo golpista de Michel Temer. A força da pressão da nossa classe fez o governo dos banqueiros tremer e não conseguir encaminhar como queria, a votação das Reformas Trabalhista e da Previdência. 

Em torno desta pauta, milhares de trabalhadores e trabalhadoras cruzaram os braços e realizaram uma das maiores greves da história de nosso país. No entanto, é necessário aumentarmos as lutas, o número de greves, e continuar envergando este governo até quebrá-lo. 

Por tudo isso, é de fundamental importância não negociar migalhas de um ataque sem precendente e sim intensificar as lutas, conscentizando mais os trabalhadores e as trabalhadoras que só por nossas mãos, virá um futuro melhor, mais digno e com direitos de quem produz todas as riquezas que existem. 

Renato Amaral
Movimento Luta de Classes

0 comentários:

Postar um comentário