quarta-feira, 2 de janeiro de 2019

No primeiro dia de mandato Bolsonaro reduz salário mínimo e passa demarcação de terras indígenas para latifundiários


Quadrilha de militares, vendedores da fé e banqueiros tomam posse em Brasília
          No primeiro dia de mandato como presidente da República, o milionário Jair Bolsonaro (PSL) reduziu o salário mínimo para R$ 998,00. São oito reais a menos que o govermo de Michel Temer tinha aprovado. Também em seu primeiro dia de mantado, o capitão passou a responsabilidade da demarcação de terras indígenas para o Ministério da Agricultura, satisfazendo o desejo dos latifundiários que apoiaram Bolsonaro nas eleições, os mesmos que assassinam trabalhadores sem terra e os povos originários. Assim, o novo governo deixa claro quem será o grande inimigo de seu governo, o povo brasileiro.
       Entre dicursos reacionários, ignorantes e fascistas, os membros do governo tomaram posse como quem combaterá a liberdade de pensamento, a organização sindical e dos demais movimentos sociais. Também ficou evidente o alinhamento ideológico de extrema direita que o novo governo seguirá internacionalemente. O governo de Jair Bolsonaro promete fazer com que o Brasil reforce os laços de subserviência com os EUA, além de se aproximar ideologicamente de Israel, Hungria, Chile e Paraguai, todos governados por fascistas e liberais. Ou seja, a ideologia que Bolsonaro é contra são as de esquerda, pois as de direita em seu governo vão de vento em poupa!
       Outras indicações que ficaram mais claras é que para o parlamento pouca coisa mudará. O governo que mudaria tudo apoia a mesma proposta de Reforma da Previdência de Temer e dos banqueiros, além de apoiar o mesmo presidente da câmara de antes, Rodrigo Maia (DEM). Assim, tudo na mesma.
       O que de fato mudará é a repressão aos que pensam diferentes, sobre tudo os socialistas. O medo que o governo Bolsonaro do socialismo é exatamente o medo das elites, dos ultra ricos, de perderem seus privilégios. Mas a luta está só começando, a resistência às idéias fascistas floresce dia pós dia. E como dizia Che Guevara, “não se pode deter a primavera”.

Renato Campos
Movimento Luta de Classes
      

0 comentários:

Postar um comentário