quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Trabalhadores da MGS garantem seus empregos! Suspensa a Privatização da UAI Praça Sete!


Trabalhadores em ato na Praça Sete
    Os trabalhadores e trabalhadoras da MGS lotados na Unidade de Atendimento Integrada da Praça Sete arrancaram uma grande vitória. Garantiram seu emprego e voltaram a trabalhar na unidade. Organizados pela Associação Sindical dos Empregados Públicos Estaduais da MGS – ASSEPEMGS e pelo Movimento Luta de Classes – MLC, os trabalhadores realizaram duas passeatas pelas ruas de Belo Horizonte, fizeram uma visita à Cidade Administrativa e à Unidade Barro Preto, que ficou sobrecarregada com o fechamento da Praça Sete, além disso ainda foram na posse do governador Zema, tudo isso para reinvindicar o direito de trabalhar.

 Ato na Cidade Adminsitrativa
Organizando os atos na Praça Sete
       O processo de Parceria Público Privada nas UAIs estava posta como fato dado aos 453 trabalhadores da MGS, e a demissão parecia ser uma consequência inevitável. No entanto, a luta e a mobilização da categoria foram determinantes para mudar a situação. A principal reivindicação era a da realocação para outra frente de trabalho da MGS. O movimento de luta entendeu que para conquistarmos essa reivindicação precisariamos de ter mais de tempo, pois estavamos em meio a transição de governo. A dispensa dos trabalhadores da MGS chegaram no dia 26 de Dezembro. Este foi o primeiro dia de luta, com assembleia, passeatas e palavras de ordem para conquistar a realocação. Em assembleia no dia 31 de Dezembro, deflagramos a greve da categoria, o que garantiu o emprego de todos, pois com isso não poderiam ser demitidos. A próxima assembleia ocorrerreu no dia 4 de Janeiro, após a reunião com a Secretaria de Planejamento e Gestão do governo Zema, a empresa MGS, com a mediação do Ministério Público do Trabalho.
Passeata no centro de BH
    A luta pelo emprego foi de grande repercussão em toda a cidade, com isso fizemos uma grande pressão ao governo liberal e privatista de Romeu Zema e conquistamos a suspensão do processo de privatização da Unidade da Praça Sete, ainda que por tempo indeterminado.
    A volta ao trabalho ocorreu com normalidade, mais ainda é necessário ficarmos alertas com  esta situação. Uma outra importante conquista foi a construção de um canal de diálogo dos trabalhadores com a MGS e com o Governo estadual.  
     Esta experiência de luta nos ensina que devemos lutar mesmo quando parece que tudo está perdido, mesmo quando alguns dos companheiros de trabalho ao nosso lado, já na acreditam na resistência como caminho para a vitória. O fato é que quando se luta com afinco e união, se conquista. Estamos enfrentando momentos de intenso ataque aos direitos da classe trabalhadora, onde o futuro nos se apresenta como incerto, e o alto custo dos produtos básico já superou a muito tempo nossos salários, mais ainda sim a única resposta possível é a luta.

Renato Campos Amaral
Assessor da ASSEPEMGS e Coordenação do MLC

6 comentários:

Parabéns aos colegas da UAI Praça Sete, ASSEPEMGS e Luta de Classes!!! Toda força e sucesso merecido!

Parabéns a todos. Agora gostaria que a ASSEPEMGS desse um apoio aos trabalhadores que ainda aguardam a reintegração de posse.

Os nossos movimentos foram decisivos para pressionar o atual Secretario que decidiu suspender o processo da privatização e daí se deu o nosso retorno a Uai. Precisamos continuar atentos por causa da possivel retomada da PPP. Caso retorne lutaremos pela nosa realocação em outra frente de trabalho na MGS.

MEUS PARABÉNS AOS COLEGAS POR ESSA VITÓRIA.

EU GOSTARIA DE SABER DO PLÍNIO SE ELE TEM ALGUMA RESPOSTA SOBRE A PELICULOSIDADE . EU ESTOU LOTADO NO. G V.

Olá Juscielton, nada de novo ainda. A MGS perdeu em todas as instâncias para pagar a periculosidade e não fez. Temos de cobrar da diretoria esse retorno.

Postar um comentário